Início » Julgamento adiado de Pimentel continua bloqueado pela oposição

Julgamento adiado de Pimentel continua bloqueado pela oposição

by Portalagora

 

Flávio Flora

 

Na pauta do Supremo Tribunal Federal (STF), consta para esta quinta-feira, 1º de dezembro, o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) que pode retirar da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a prerrogativa de decidir se o governador Fernando Pimentel (PT) pode ou não se tornar réu da Operação Acrônimo. Ele foi denunciado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Na ação movida pelo Diretório Nacional do Democratas (DEM),no começo de junho deste ano, alega que a Constituição do Estado de Minas prevê, expressamente, que o governador deve ser afastado do cargo se o STJ aceitar a denúncia, isso sem a necessidade de aval dos parlamentares estaduais. Por isso, o partido pede em medida liminar que a Corte Suprema adote o entendimento de que não é necessária autorização do Legislativo Estadual para Pimentel virar réu e ser afastado do cargo.
— Independentemente do crime sobre o qual se ajuizou ação penal (crime comum sem distinção) e qualquer que seja o meio utilizado para promovê-la (denúncia ou queixa-crime), deve o governador mineiro ser afastado caso recebida a denúncia ou queixa pelo Superior Tribunal de Justiça — diz a ação assinada pelo advogado Fabrício Mendes Medeiros, que representa o DEM no caso.

Início do processo

 

Em maio, Pimentel foi acusado de receber propina da montadora de veículos CAOA em troca de favorecimentos no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pasta em que atuou de 2011 a 2014. Tanto a empresa quanto o governador negam terem cometido irregularidades.

Na defesa do governador, foi apresentado um pedido para que antes de ser julgado pelo STF, a Assembleia Mineira deliberasse, em julgamento político pleno, se o petista poderia ser ou não processado exercendo o mandato. A Corte acatou o pedido, e todo o material da denúncia – incluindo a delação premiada do empresário Benedito Oliveira (Bené) – foi encaminhado a ALMG, para que decidisse sobre o caso, até o dia 23, quarta passada, prazo dado pelo STF.

Durante as tramitações pela Assembleia, o governador articulou com a base aliada uma votação favorável que irritou a oposição pelo fato de que o presidente da Casa, deputado Adalclever Lopes (PMDB) não tinha compartilhado todo o material da denúncia com os parlamentares.

 

Julgamento suspenso

 

Já com a data marcada para o julgamento da ALMG – o jornal Agora até publicou como certa a votação – os deputados irresignados com as decisões da presidência da Assembleia, recorreram ao STF pedindo a suspensão da votação por cinco dias até que Adalclever compartilhasse toda a documentação com todos os deputados, o que foi feito sob muita tensão.

Todavia, quando as discussões foram retomadas para tentar concluir a votação, novamente, a oposição recorreu à Justiça, alegando desta feita que não houve tempo suficiente para analisar o material e pediu mais prazo. O ministro Herman Benjamin, do STJ, então, um dia antes da data pautada para votação em Minas, determinouna terça-feira, 22, que ela fosse suspensa por 10 dias para que os parlamentares tivessem o tempo hábil.

Em resumo

 

Diante destes incidentes, a previsão agora é dupla: na quinta,1º, o STF pode julgar a Adin e retirar a prerrogativa da Assembleia, mas caso o pedido seja rejeitado pela Corte Superior a votação será retomada nesta sexta-feira, 2, quando vence o prazo dado pelo relator Benjamin, para a decisão dos deputados.

 

 

você pode gostar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O Portal de Notícias Jornal Agora é a fonte de informações mais confiável e abrangente para a nossa comunidade. Com foco exclusivo em acontecimentos que afetam diretamente nossa região, oferecemos uma visão única e aprofundada dos eventos locais, mantendo os residentes informados e engajados.

Notícias Recentes

Veja Também

@2024 – Todos os direitos reservados. Projetado e desenvolvido por @lethiciamauridg

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00