Início » Indústria sofre queda na produção

Indústria sofre queda na produção

by Portalagora

Jorge Guimarães  

A produção industrial brasileira caiu 1,1% em outubro deste ano, na comparação com setembro. A queda veio depois de uma alta de 0,5% entre agosto e setembro. Em relação a outubro de 2015, a queda chegou a 7,3%, a 32ª taxa negativa neste tipo de comparação. Os dados da Pesquisa Industrial Mensal foram divulgados ontem pelo pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  

A produção da indústria acumula perdas de 7,7% no ano e de 8,4% em 12 meses. Na passagem de setembro para outubro deste ano, as quatro grandes categorias econômicas da indústria tiveram queda, com destaque para os bens de capital, ou seja, as máquinas e equipamentos (-2,2%). Os bens intermediários, isto é, os insumos industrializados para o setor produtivo, caíram 1,9%. Bens duráveis recuam 1,2%. 

Entre os bens de consumo, ou seja, os destinados ao consumidor final, os bens duráveis recuaram 1,2%, enquanto os semi e não duráveis caíram 0,8%. Vinte das 24 atividades industriais pesquisadas tiveram queda na produção entre setembro e outubro de 2016, com destaque para os produtos alimentícios (-3,1%), os veículos automotores (-4,5%) e o setor de borracha e plástico (-4,9%).  

Apenas quatro atividades industriais tiveram alta na produção: derivados de petróleo e biocombustíveis (1,9%), produtos de minerais não metálicos (1,4%), produtos do fumo (0,9%) e equipamentos de informática e eletrônicos (0,2%). 

Indústria mineira  

Para enfrentar a atual crise a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) lançou na última quarta-feira, na sede da Federação, o programa Indústria Global, uma solução inovadora que habilita empresas do Estado para o processo de expansão internacional. A iniciativa do Centro Internacional de Negócios (CIN) da instituição visa apoiar empresas mineiras no processo de inserção no mercado global, seja por meio de um escritório comercial, warehouse ou planta comercial. O projeto é uma ação da Fiemg, em parceria com a APEX Brasil, Indi – Portal do Governo do Estado de Minas Gerais e CNI – Pesquisas e Estatísticas | Portal da Indústria. 

Projeto  

O projeto espera atender, no ciclo 2017/18, 30 empresas de setores prioritários como alimentos e bebidas, moda, tecnologia da informação, eletroeletrônico, metalmecânico e biotecnologia. Os setores prioritários do programa foram selecionados, em conjunto com a APEX Brasil, a partir de uma análise técnica referente aos potenciais destas indústrias para expandirem internacionalmente. Indústrias de outros setores poderão se inscrever para o projeto e serão avaliadas caso a caso. 

Para o presidente do Sistema Fiemg, Olavo Machado Junior, o desenvolvimento econômico do Estado passa pela internacionalização de nossas empresas.  

— A força da integração econômica, por meio da internacionalização produtiva das empresas, é uma ação extremamente importante para o nosso Estado e, além disso, é desenvolvida por diversos países como estratégia de expansão e, muitas vezes, de sobrevivência — finalizou. 

Divinópolis  

O cenário na cidade também não é muito diferente em relação a economia. E o aumento do desemprego na cidade é a maior associação a queda da indústria, com os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho,  mostrando que , em setembro último, Divinópolis teve um total de 1.817 admissões contra 1.835 desligamentos. Já englobando de janeiro até setembro, os números continuam negativos com 17.684 admissões e 18.329 demissões. E na soma geral dos últimos 12 meses, a cidade teve 23.180 admissões e 24.753 desligamentos, perfazendo um saldo de – 1.573 vagas. Dados preocupantes  

Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Divinópolis, (Acid), Leonardo Gabriel, o momento é de turbulência. Ele espera que as reformas que virão sejam benéficas a todos os segmentos.   

— A economia brasileira passa por um momento de grande turbulência. A Acid entende que, após as reformas previdenciária, fiscal e política, o cenário econômico possa reagir e apresentar boas perspectivas para 2017 — avalia. 

Já para o presidente da Fiemg Regional Centro – Oeste, Afonso Gonzaga a esperança é que já neste mês as coisas melhorem. 

— O impacto negativo no crescimento se deu em todas regiões, não é uma realidade somente de Divinópolis ou de Minas, infelizmente. Entendemos que esta queda de outubro em relação a setembro se deu em face a dificuldade de mercado. Esperamos que já neste mês, volte a crescer. Houve recuperação nas vendas, o que deve refletir na produção, equiparando ao crescimento de setembro — definiu Afonso Gonzaga      

você pode gostar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O Portal de Notícias Jornal Agora é a fonte de informações mais confiável e abrangente para a nossa comunidade. Com foco exclusivo em acontecimentos que afetam diretamente nossa região, oferecemos uma visão única e aprofundada dos eventos locais, mantendo os residentes informados e engajados.

Notícias Recentes

Veja Também

@2024 – Todos os direitos reservados. Projetado e desenvolvido por @lethiciamauridg

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00