Início » Eleição para prefeito caminha para dualidade

Eleição para prefeito caminha para dualidade

Ex-deputado federal mantém pré-candidatura, enquanto partido de Galileu já declarou apoio a chapa 

by JORNAL AGORA
Fotos: Divulgação - Jaime Martins mantém pré-candidatura, mas avaliará cenário antes de decisão final

Matheus Augusto

A disputa pela prefeitura de Divinópolis, neste ano, caminha para a polarização. Até o momento, apenas duas pré-candidaturas estão confirmadas: Gleidson Azevedo (Novo) e Laiz Soares (PSD). A última, inclusive, anunciou ontem o vereador Ademir Silva (PSDB) com seu pré-candidato a vice. Gleidson, por outro lado, mantém Janete a seu lado para a eventual disputa à reeleição. 

Outros dois políticos colocaram seu nome à disposição do pleito: o ex-prefeito Galileu Machado (PRD) e o ex-deputado federal, Jaime Martins (PSB). No entanto, a pouca disposição dos partidos em lançar uma chapa própria ao Executivo tem dificultado as articulações. 

Apoios

O anúncio da aliança política entre Laiz e Ademir também confirmou o apoio de determinados partidos. São eles: PDT, PRD e Rede, PV, PCdoB e Cidadania.

Além do Novo e do Avante, partido dos pré-candidatos da chapa de Gleidson, o atual mandatário deve contar com o apoio do PL. O Partido Libertal mantém boas relações com a gestão municipal, por meio do deputado federal Domingos Sávio, presidente estadual da sigla. 

O União Brasil seguia avaliando o cenário eleitoral antes de definir a possibilidade de lançar candidatura própria. Deve, porém, focar nas cadeiras do Legislativo. Republicanos já declarou apoio à reeleição do prefeito. Presidido localmente pelo assessor especial de gabinete do prefeito, Fernando Henrique, o Agir também caminha na mesma direção.

Sem vereadores e com a desfiliação de Galileu, uma das figuras históricas da sigla, o MDB está fora da disputa eleitoral deste ano. 

Motivações

Ademir já havia anunciado sua pré-candidatura a prefeito, abrindo mão da tentativa de reeleição na Câmara pelo terceiro mandato consecutivo. Laiz, por outro lado, mantinha em segredo as tratativas em busca de um vice. A única revelação, em entrevista concedida ao Agora, era de que seria um homem. Com o aval dos partidos, a aliança foi formada.

À reportagem, Ademir Silva classificou a chapa como um complemento entre experiência e inovação. Ele espera agregar na visão política compartilhando os relatos que ouve há oito anos dos moradores. 

— Conheço os maiores problemas de cada bairro, as angústias do povo por um melhor atendimento nos postos de saúde, mais leitos no sistema público, medicamentos na farmácia popular, mais creches e mais dignidade para todos — ressaltou. 

Segundo ele, muitas demandas que viu no início de sua trajetória política permanecem as mesmas. Por isso, a iniciativa de deixar o Legislativo pelo Executivo. 

— Todas essas situações que eu, como vereador, fiscalizei e pedi melhorias, espero agora poder resolver como vice-prefeito. Estou entrando nessa pré-campanha com a experiência e o olhar humano que adquiri, entendendo as necessidades do povo e do setor agropecuário de Divinópolis, que tem sido negligenciado por muitos anos. As estradas abandonadas, a falta de apoio na produção agrícola, tudo isso precisa mudar. Minha missão é trazer dignidade de verdade para o povo de Divinópolis — definiu. 

Sobre Laiz, enalteceu “a energia da juventude e sua experiência como gestora”, focando na luta pela dignidade das mulheres e criar condições para atrair mais empresas. 

— Formamos uma chapa que combina a minha experiência na vida pública com a juventude, energia e gestão da Laiz — ressaltou. 

Escolha

Durante o anúncio, Laiz justificou a escolha de Ademir como um “processo natural de convergência”. 

— Temos em comum o amor por essa cidade e a disposição de colocá-la novamente nos trilhos. Este não é um projeto meu ou do Ademir. Trazemos conosco nomes importantes que nos ajudarão a tornar Divinópolis a cidade que todos nós queremos e precisamos — afirmou Laiz.

Já Ademir elogiou a trajetória de Laiz na iniciativa privada e sua capacidade de diálogo na política. 

— É inquestionável a capacidade de gestão e a visão administrativa que a Laiz tem, uma das pessoas mais preparadas que conheço para enfrentar o enorme desafio de buscar o desenvolvimento de Divinópolis, além de ter relacionamento e trânsito aberto em Belo Horizonte, Brasília e São Paulo, principal centro econômico e empresarial do Brasil — afirmou.

Terceira via?

O ex-deputado federal, Jaime Martins (PSB), também mantém sua pré-candidatura. Ele espera ter uma definição sobre a decisão até o fim do mês, com uma avaliação detalhada do cenário eleitoral, além de conversar com sua família. Na próxima semana, seu partido já deve inclusive agendar a data da convenção. 

Ao Agora, ressaltou manter o diálogo constante com políticos. 

— Não me deixo perder nessas pseudodisputas ideológicas — afirmou. 

Segundo ele, a eleição deste ano precisa ser focada em Divinópolis, e não em aspectos nacionais ou internacionais. 

— Precisamos nos voltar para os problemas daqui, que são graves, mas têm solução — defendeu. 

Ao enaltecer a característica trabalhadora do município, aponta para a necessidade de implementação de projetos estratégicos na próxima gestão. 

— Por quem quer que seja — ressaltou, mencionando a expectativa pela conclusão do gasoduto, como impulsionador do desenvolvimento econômico.

Ressaltou, por fim, a boa convivência e o respeito com ambos os vices das chapas já formadas.

Datas

Os candidatos serão confirmados oficialmente apenas durante as convenções partidárias, a serem realizadas entre 20 de julho a 5 de agosto. 

— Após a definição das candidaturas, as agremiações têm até 15 de agosto para registrar os nomes na Justiça Eleitoral — informa o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

A propaganda eleitoral começa no dia seguinte. 

— Até lá, qualquer publicidade ou manifestação com pedido explícito de voto pode ser considerada irregular e é passível de multa — alerta o TSE. 

Programação

No primeiro semestre, ainda ocorre a exibição de propaganda partidária – diferente da eleitoral. A partir de hoje, emissoras de rádio e televisão exibem os anúncios do PT, PV, MDB e União Brasil. 

— Partidos que conseguiram entre dez e 20 deputados federais eleitos poderão utilizar dez minutos por semestre para inserções de 30 segundos cada, tanto nas emissoras nacionais quanto nas estaduais. As bancadas compostas por até nove parlamentares terão cinco minutos semestrais para exibição do conteúdo partidário em âmbitos federal e estadual — explica o órgão. 

As propagandas eleitorais começam a ser veiculadas em agosto, focadas na divulgação dos candidatos para a conquista de votos. Já a propaganda partidária é veiculada anualmente —  em anos eleitorais apenas no 1° semestre — , com objetivo de promover os programas partidários e angariar novas filiações.  

— O espaço reservado à propaganda partidária não pode ser utilizado para promover pré-candidato a uma eleição — reforça. 

Segurança

O TSE também lançou uma campanha para reforçar a segurança das urnas eletrônicas. Entre as medidas adotadas, estão:

  • a urna não tem acesso à internet, o que impede qualquer tipo de invasão;
  • o código-fonte é verificado por diferentes instituições e especialistas independentes;
  • a transferência de dados é protegida de ponta à ponta;
  • ao todo, mais de 30 barreiras garantem a segurança do voto e a integridade da democracia.

você pode gostar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O Portal de Notícias Jornal Agora é a fonte de informações mais confiável e abrangente para a nossa comunidade. Com foco exclusivo em acontecimentos que afetam diretamente nossa região, oferecemos uma visão única e aprofundada dos eventos locais, mantendo os residentes informados e engajados.

Notícias Recentes

Veja Também

@2024 – Todos os direitos reservados. Projetado e desenvolvido por @lethiciamauridg

12 de junho

você merece um presente

Claret

Abrir bate-papo
Fale com nosso time comercial
Olá!
Podemos ajudá-lo?
-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00